terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Sonhos Soterrados




"Pedras no caminho? 
Guardo todas, 
um dia vou 
construir um castelo...".
Augusto Cury



        Alguém lhe disse: “Coloque todos os seus sonhos dentro do castelo, eles estarão salvos nele.". No entanto, não avisaram-no como foi construído o castelo. As pedras do caminho ajudaram a edificá-lo. Elas eram de má qualidade e o castelo desmoronou destruindo todos os seus sonhos.

                                                        Clayton Levi

Rio Seco




“No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.”
  Carlos Drummond de Andrade



Se ela o ferir mais não vai se perdoar por isso...
Ela se perdoará por está ferindo quem a ama?
Ambos machucam-se. Ele sofre com o sofrimento dela e ela com o dele.
O verbo amar mesmo que seja conjugado no passado soa como belo!
Ele almeja conjugá-lo no presente e no futuro, no entanto quem ama, 
Ama alguém/algo, sem ela a frase fica sem sentido. "Ele ama...".
Ele teve um sonho bom, sonhou em viver ao lado dela 
E compartilhar suas conquistas e sorrisos,
Contudo as coisas boas não estão destinadas a ele.
Sua sina é o calvário, apenas a morte pode abrandar seu corpo do tormento.
A vida é um rio. Este secou em razão de uma pedra que impediu o percurso da água. Resta apenas um terreno rachado onde antes a água contente corria da mesma forma todos os dias. A floresta verdejante tornou-se um conjunto de árvores secas.
Canto de pássaro algum não pode ser ouvido na alvorada. 
Vendo isto um poeta diria: “as aves que aqui gorjeavam, 
em algures nenhum existirá gorjeio como de cá.”. 
O perfume das flores murchas é o aroma da decadência.
É melhor retirar a pedra ou deixá-la no caminho?
Viver sempre valerá a pena?
Viver por um emprego bom... Por uma faculdade...
Isso ele não pode chamar de vida. Isso é uma vida vazia.
Vida vazia não é vida. Uma vida vazia é pior do que a morte.
Viver sempre valerá a pena?
É melhor retirar a pedra ou deixá-la no caminho?
Deixar o rio andar como antes ou deixá-lo seco?
Uma vida vazia é pior do que a morte.
                                                                Clayton Levi

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Soçobro




“[...] Chegarás, primeiro, à região das Sereias,
cuja voz encanta todos os homens que delas
 se aproximam. Se alguém, sem dar por isso,
 delas se avizinha e as escuta, nunca mais
 sua mulher nem seus filhos pequeninos se
 reunirão em torno dele, pois que ficará cativo
do canto harmonioso das Sereias. Residem
elas num prado, em redor do qual se amontoam
 as ossadas de corpos em putrefação,
 cujas peles se vão ressequindo [...]”.

A Odisseia, Homero.









 O jovem capitão findou sua vida no fundo do mar
Por causa de uma fada marinha que o fez amar.
Incentivou-o a construir sonhos para só então deixá-lo naufragar em dor.
Ele gostaria de escapar do sofrimento voando como um albatroz.
Ela era linda, dona de uma feiticeira voz. 
Cantando atraiu o marinheiro, fazendo-o prisioneiro do amor.

As estrelas não conseguiram guiá-lo para longe da calamidade
Que estava no porvir: o marujo tinha em sua sina a morte.  
A princípio ele pensou ser muita sorte,
Ter encontrado uma sereia de olhos de pérola com tamanha vontade
Em ajudá-lo quando estava perdido na vastidão do oceano,
Contudo ela saqueou seu fôlego com um ato profano,

Encantou seus sentidos, distraiu sua atenção,
Fazendo colidir nos rochedos frios sua embarcação.
Poseidon ao contemplar tal tragédia em prantos ficou.
Por muito tempo o céu chorou.

O desalento do rei dos mares foi tão notável 
Que este fez com que as ondas ao banhar a costa estável,
Pela eternidade contassem essa deplorável história
Que ele não consegue extrair da memória.
                                                                    Clayton Levi

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O pesadelo é recorrente, o vazio é incessante.


Ele procurou a luz, a redenção de tudo que havia feito.
Encontrou o que procurava... Encontrou a felicidade...
Agora nada mais importa, ele foi jogado no lago do 
Fogo eterno com seus sonhos.
(O que fazer quando até os anjos lhe abandonam?).
Machucado por feridas invisíveis que não podem cicatrizar.
Ele tornou-se ímpio com o amor.
Isso já existiu antes que ceifassem seus sentimentos.
Ele precisa de paz em seu interior...algo falta nele...
(O que fazer quando até os anjos lhe abandonam?).
Álcool para purificar o seu âmago purulento.
Autodestruição para construção do seu novo ego,
Menos humano, menos suscetível a percas.
O pesadelo é recorrente, o vazio é incessante.
Bem como uma lâmpada apaga e acende,
Chegará um tempo onde não emitirá luz,
Ele oscilou entre a luz e a escuridão. Agora só as trevas existem.
Borboletas em seu estômago farfalhavam... feneceram dando
Espaço para as moscas devorarem o pedaço de carne putrefata
Chamado, certa vez, de coração.
(O que fazer quando até os anjos lhe abandonam?).
Álcool para purificar o seu âmago purulento.
Autodestruição para construção do seu novo ego,
Menos humano, menos suscetível a percas
O pesadelo é recorrente, o vazio é incessante.

                                                                        Clayton Levi


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Triste

Como superar a ideia de ter perdido uma pessoa que faria par com você no baile da vida para sempre?
O baile foi cancelado pela distância, distância que destruiu a vida do jovem amante. A distância fez o que faz de melhor, separar as pessoas, assassinar relacionamentos.
Como continuar a viver uma vida repleta de mágoas? Sonhos que tinham tudo para dar certo e não aconteceram?
Pensei que as cartas que faziam  a base do meu castelo eram o amor...me enganei era  a dor disfarçada...o castelo caiu...os sonhos padeceram...por que tudo tem que ser assim?
Ardor.. Ardor onde está você? Me falta o "ar" e agora só tenho  a "dor".
O mar é o amor, o peixe sou eu...tinha tudo que queria...vivia no meu cardume, tinha minha família... meu amor...eis, que em um dia escuro o "mar" seca levando com ele a minha razão de viver, resta para mim apenas  ficar me debatendo até que tudo se acabe, morte ou seria a m(s)orte que acabaria com essa dor?...
Quero dividir minhas conquistas com quem eu amo, com quem me faz bem...
Perdi a lucidez, viver não quero mais, não aguento ter só "dor" em minha vida, eu quero o "ar" que só ela me dava...onde estao os meus versos de amor? Por que só escrevo versos doentes, versos tristes?
Quero minha felicidade aqui neste quarto escuro comigo...não quero mais chorar...não quero mais o desespero...triste...triste...triste...estou triste...essa tristeza que toma conta da minha vida, não me deixa viver...
Lágrimas, lágrimas, lágrimas...de tanto chorar será que chorarei sangue também? Névoa que me cerca e não consigo ver nada, apenas a dor de uma vida vazia.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Inexistente



Inexistente


"[...] A beleza que lhe é própria pede
 para marido o melhor homem; seus
 dotes naturais e a graça inata falam
 melhor do que qualquer linguagem.[...]". 
-Antônio e Cleópatra, Shakespeare.



Não há livro que narre uma história mais emocionante do que a sua.
Não há bebida que inebrie o meu ser mais do que as suas carícias.
Não há canção que me alegre mais do que ouvir a sua voz.


Não há livro que me ensine sobre a vida mais do que você.
Não há bebida que me aqueça mais do que seu abraço apertado.
Não há canção com melodia melhor do que seus beijos.

Não há livro que prenda minha atenção mais do que o seu olhar.
Não há bebida que tenha o sabor mais doce do que sua companhia.
Não há canção que seja mais bela do que seus cabelos ao vento.

                                                                                 Clayton Levi

sábado, 21 de janeiro de 2012

Sofia e os anagramas


Sofia e os anagramas


Fui visitar minha amada Sofia, certo dia, pois estava precisando de boas ideias para acalmar uma dor que jazia em meu peito arfante. Suas palavras permitiam manter meus pés no chão. Antes de entrar em sua casa, me deparei com sua filha, Ana, brincando na grama, contemplando o voo das borboletas, acariciando uma rosa e apreciando seu perfume. Fiquei atônito, a criança sorria tanto com tão pouca coisa. Qual o segredo para ser tão feliz assim? Perguntei-me. Seria a simplicidade? O desconhecimento dos males do mundo? O fato de não conviver com pessoas arrogantes, egoístas e mal-humoradas a fazia feliz? Continuei a Inquirir o meu ego e lembrei-me que costumava ser assim quando estava amando viver, apreciava até o mais simples gesto da minha amada com encanto. Acariciava o seu nariz com o meu, beijo de esquimó, com tamanho zelo que até as obras de arte ficavam com inveja. Sentia seu doce perfume como um faminto sente o cheiro de comida, desejando vorazmente degustar o gosto da mesma.
Olho para a casa e vejo Sofia sorrindo também, é um sorriso tão bonito quanto o da sua filha, digno de um verso dos grandes poetas apaixonados. Caminho em direção a Sofia não sem antes dizer "olá" a criança que doa outro sorriso belo como resposta. Entro na sua linda casa apinhada de artefatos, estátuas e obras de arte. Exponho tudo que me assola, os sonhos abandonados pelo meu grande amor, a dor que jamais cessa em meu peito. A raiva de não viver tudo aquilo que poderia ter sido. Questões que não encontro respostas.
Sofia retorquiu: “Não sou muito de acreditar em coisas que não vejo, no entanto lhe direi essas palavras, declamando Shakespeare ela diz: 'Há mais coisas entre o céu e a terra do que nossa vã filosofia'. Pense nisso, você pode ser como eu, fria, com a cabeça no lugar ou viver como minha filha encantada com qualquer coisa, esperançosa”. Digo-lhe uma coisa, divirta-se com alguns anagramas da palavra "amor" e darei o meu veredito após ver as frases que se formaram.
-... Fiquei sem palavras e pensativo e apenas proferi os meus pesares utilizando os anagramas de modo deprimente e lamentável: 
     
    Vejo o dinheiro comprando tudo ao meu redor até as pessoas que mais amo (o dinheiro compra tudo?). Qual o valor do moar que devemos pagar para ser felizes?

     Um grito dentro de mim reverbera: ‘‘SOSSEGO, ONDE ESTÁ VOCÊ”. Chegou a hora de ir ao firmamento? É preciso ir tão longe para encontrar um ramo da árvore da paz ?

       Em Roma encontraria a inspiração que fez de Horácio, Ovídio e Virgílio grandes poetas? Com meu ânimo criador esfacelado será que poderei mais uma vez escrever com o coração versos onde as pessoas possam dizer: ‘‘Achei bonito o que você escreveu, posso copiar?’’.

       Roam até o fim estas perguntas a minha alma até poder saciar os meus desejos. Pois, ela só serve para fazer companhia ao coração que outrora batia de felicidade e agora palpita de intruso para manter um corpo que quer a eutanásia.

      Na minha lápide que tenha o pseudônimo de Maro. Aquele que desejou e procurou o amor verdadeiro. Aquele que se doou sem esperar ser retribuído. Aquele que acreditou na força de um "Eu te amo" sem palavras, uma atitude em prol do coração alheio.

      Armo, arquiteto planos, no entanto lembro de tudo o que sonhei e não se realizou e ponho meus pés no chão dizendo a mim mesmo para viver um dia de cada vez.

      Mora, habita uma grande pessoa dentro de mim que precisa de outra para viver.


     Sofia diz que observou como eu estava encantado com o sorriso de sua filhinha, confessou que posso ser como ela. Em uma pequena pausa olha em meus olhos e fala: "Todo o seu jeito de ser agora está enterrado vivo dentro de você, sei que almeja muito sair, porém para onde iria tamanho desejo de amar? Você deve estar muito mal, sem vontade de se alimentar, sem dormir direito, magoado demais, sem ânimo de viver. No entanto, lembre-se como o mundo já foi belo para você, tente melhorar, poderia lhe dizer que o tempo vai curar você, contudo isso seria estupidez da minha parte, isso é apenas um clichê. Pense: a razão do seu sofrimento está sofrendo como você? Cadê o conforto da parte dela? Na verdade ela só fez o melhor para ela, enquanto você está definhando agora em meio a lamentações (as lágrimas bailam em meu rosto). Minhas palavras lhe machucaram? Ela fez pior com você. Lembre-se que os pássaros continuam a cantar independente de sua tristeza e o sol continua a brilhar independente das nuvens. A felicidade encontra  oceanos de obstáculos, apesar disso para quem se disponhe a alcançá-la esses empecilhos são apenas uma poça d’água. Você pode continuar assim para o resto da sua vida ou seguir em frente, sempre temos uma escolha a ser feita. Faça sua escolha. Sei que você a ama, o quanto quer ela por perto, entrementes ela não deseja o mesmo, ela não respeitou a história de vocês, tente viver sem sua ela, tente viver sem sua alma.".
                                                                          Clayton Levi

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O Plano da Felicidade








O Plano da Felicidade



"É difícil entregar-se?
Mas quem disse que é fácil ser feliz? 
Nem tudo é fácil na vida...
Mas, com certeza, nada é impossível 
Precisamos acreditar, ter fé e lutar 
Para que não apenas sonhemos,
 Mas também tornemos todos esses desejos, 
realidade!!!"
- Cecília Meireles



Tanto tempo havia se passado desde a sua partida que o sol esfriara e a noite tornara-se eterna. Depois de muito tempo distante, o meu anjo retornou, ele estava como sempre o conheci radiante e cuidadoso comigo, o seu protegido. Não havia mais punhal em meio peito, nem sangue em suas mãos. Ele me disse para aonde voou enquanto esteve longe de mim, explicou o motivo de ter partido, estava magoado consigo mesmo e não queria me ferir. Como um nômade vagou por vários lugares procurando a solidão, desde os confins do universo até os abismos marítimos dos mais diversos oceanos procurou abrigo, contudo por mais longe que fosse ele não podia fugir dele mesmo.

Estava confuso. Não tinha as respostas que tanto queria. Ele se questionava se eu o aceitaria mesmo ele tendo tantas imperfeições, se eu aceitaria seu gélido seio petrificado para me aquecer quando eu precisasse, se este deixaria de ser pedra e voltaria a palpitar por alguém, se seria o bastante para mim, se isso me faria feliz, se não iria me magoar novamente, se aceitaria os seus olhos míopes, sua boca e suas mãos pequeninas para me erguer quando precisasse...

- Você não precisa se indagar para saber se eu aceito sua boca provocante, seus olhos de fim de tarde e suas mãos pequenas, desde a noite que você desistiu da sua imortalidade para cuidar de mim, você tem todas essas respostas, aceitei ser feliz ao seu lado juntando nossas imperfeições e formando o nosso mundo perfeito. Não duvide do meu desejo, meu anjo, segure a minha mão como uma vez segurei a sua. O anjo me diz que está me fazendo sofrer e não enxergo por gostar muito dele, na minha estante retiro um livro de Shakespeare e declamo para ele: ”Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar”.

Eu sei que há um pouco de divindade em todos nós. Como sei disso? Para sermos tão amados apesar de nossos defeitos, apesar das dores que causamos a quem nos ama sem querer, este sofredor não desisti de nós, assim como Cristo não desiste do pecador, apesar de suas falhas. Somos um oceano de defeitos com pingos de perfeição. Amor não é apenas sentimento, são atitudes também. Deixe-me cuidar de você como um dia você cuidou de mim, preciso de você aqui perto... bem de perto... durma em meus braços mais uma vez enquanto canto para você:” Oh, sleep my child, under the fog there are shadows moving don't be afraid, hold my hand... I love you!!!"... Em pouco tempo, o anjo adormece e em meio ao sono murmura: "O plano... da... felicidade é... eu... cuido de você e você cuida de mim e nós cuidamos de nós mesmos um pelo outro.".

                                                                             Clayton Levi                                                                              

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Tristeza



Tristeza



E depois de um dia difícil
Pensei ter visto você
Entrar pela minha janela e dizer:
- Eu sou a tua morte
Vim conversar contigo
La Maison Dieu, Renato Russo.



Ó tristeza, por que cortejas tanto a ele?
Morrendo... Ele está morrendo!!!
Ó tristeza, como ele despertou tamanho desejo em ti?
Morrendo... Ele está morrendo!!!
Forças ele não tem para dizer-te para não fazeis morada no peito dele.
Morrendo... Ele está morrendo!!!
Atenderá teu pedido... Ponhas a aliança no dedo dele e sejam tristes para sempre.
"Há males que vem para o bem.", diz o ditado popular.
Realmente isso faz sentido. Ele está triste e não se alimentando corretamente. 
Será agora cadavérico, seguindo a moda do verão.
Olha pela janela do seu quarto. O sol perfeito a brilhar, um dia perfeito.
Não sabe como tirar proveito dele, chove em seu peito, uma enorme tempestade.
Ele pensa: “Deus, seria egoísmo de minha parte pedir a ti para que chovesse
Lá fora e em troca aqui dentro... dentro desse peito úmido fizesse sol?’’.
Procurou entre poetas palavras que se igualem, descrevam a dor que sente.
Buscou em vão. Sua conclusão é que não existiu até hoje dentre eles
Alguém que conseguiu descrever o inimaginável.
Como alguém lhe cura de uma ferida profunda e depois lhe fere no mesmo lugar?
Um punhal cravado estava no peito de um homem que jazia agonizando, clamando
por piedade, pedindo para viver... - Morrendo... estou morrendo! Alguém me ajude. - dizia ele.
O anjo mais belo do céu escutou suas preces, voou para salvá-lo desse triste destino retirando o punhal e cuidando dele. Passado algum tempo desde então. Quando a ferida cicatrizou por completo o seu anjo salvador estava com um jeito diferente. O anjo murmura em seu ouvido: "Meu nome é tristeza, você não pode escapar de mim.", ao terminar de proferir estas palavras volta a enfiar o punhal com mais força desta vez, sem deixá-lo implorar por sua vida. 



                                                                                                             Clayton Levi

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

( )





(           )







Se Deus é amor e fomos criados a sua imagem e semelhança, logo o amor é a essência da vida. Uma vida sem amor não pode ser considerada vida.



                                                                                       Clayton Levi

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Versos de sangue


     "... Aonde está você agora
     Além de aqui dentro de mim?...".
       - Renato Russo, Vento no Litoral                                                            





 O poeta empresta seu corpo ao sentimento que o faz perder o apetite pela vida.
 Eis a dor sufocante a escrever cada verso deste poema agonizante.

A maneira que o faz manejar a caneta ao encontro do papel lembra um depressivo ao cortar a sua própria pele com uma faca, na esperança de expulsar todo o desespero de dentro de si por não poder lidar com emoções insuportáveis que se debatem em seu peito.

Como se ao escrever esses versos maculados de sangue pudesse trazer o mal para fora e combatê-lo até sepultá-lo se tornasse possível. Mutilar todo seu corpo e banhar-se no mar sem sentir dor seria mais fácil do que suportar isso tudo.

Ele gostaria de acreditar nas palavras de Pessoa quando este diz que: “O poeta é um fingidor. Finge tão completamente que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente.”. Ele gostaria de poder acreditar nisso, crer que esses versos repletos de sangue são apenas obra de sua imaginação. Crer que ao nascer do sol a luz vai repudiar toda a escuridão que se faz presente na sua vida.

Não importa o quanto ele deseje a felicidade, o quanto ele almeje estar com quem ele ama, as suas vontades não importam, não depende dele deixar de ser um cadáver a vagar pelo mundo. O antídoto disso tudo está no mesmo frasco do seu veneno. Na mesma pessoa que causou tamanha dor se encontra a cura dele.

                                                                                                                        

                                                                                                         Clayton Levi

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Bom Apetite!

"Os livros são como colheitas-precisam ser selecionados para um melhor rendimento." - MTG. A leitura é uma árvore que proporciona frutos insaciáveis ao meu paladar. Em cada mordida sinto como se estivesse no Olimpo desfrutando da Ambrósia, o manjar dos deuses. Ficar obeso com tanta fruta? Frutas poéticas não engordam, pelo contrário tornam a vida mais saudável. Caro leitor(a), gostaria de experimentar uma fruta dessas? A mesa está servida, espero que goste e sinta-se a vontade para alimentar-se de todas as frutas. Bom apetite!