quarta-feira, 23 de julho de 2014

Fauna Cibernética



Rubem Alves e agora Ariano?! Ficaria até com medo de ser poeta, caso eu não fosse viver eternamente dentro dos meus versos como esses imortais que viverão em suas obras e na mente de quem teve/terá contato com elas.


Muitas postagens sobre Ariano. Algo lindo de contemplar. Uma lástima que alguém do universo literário suassuniano não possa tocar A gaita para trazê-lo de volta ao nosso picadeiro do dia a dia chamado vida, onde o espetáculo é feito por essa "fauna cibernética" que somente oferta um prestígio digno para alguém postumamente... Mas pensando bem é até melhor assim, pois o paraibano de alma e pernambucano de coração, Suassuna, certamente, solicitaria um novo flerte com "(...) o único mal irremediável, aquilo que é a marca do nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados (...)", com a finalidade de fugir de todo esse falso luto da parte de alguns que sequer sabem que "O 'Alto' da Compadecida" é de autoria dele.

- Clayton Levi

sábado, 19 de julho de 2014

Sublime Compositor

"O que é vida? Mais precisamente, o que é a vida de
um ser humano? O que e quem a define?
Já tive medo da morte. Hoje não tenho mais. O que sinto é uma enorme tristeza. Concordo com Mário Quintana: "Morrer, que me importa? (...) O diabo é deixar de viver." A vida é tão boa! Não quero ir embora...".¹ - Rubem Alves



Rubem Alves, um ser plural: pedagogo, teólogo, escritor...
Um imortal tal qual Quintana! Da vida um sublime compositor.
Bem-aventurados os que brincam com os livros
E fazem deles "playcenters", pois asas receberão.
Mestre, os seus ensinamentos são sementes que floresce(m)rão!


Clayton Levi

__________________________________


¹ Texto publicado no jornal “Folha de São Paulo”, Caderno “Sinapse” do dia 12-10-03. fls 3.