segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Rabiscando devaneios e palavras

Pensando... Sentindo... Garatujas do meu cerne ganham materialização no papel.
Rabiscando devaneios e palavras, assim sigo adiante na vida.
Eu acredito em coisas que não consigo explicar, contudo duvido delas.
Minha religião é a felicidade. Meu deus é o amor.
Na morte encontrarei o segredo da vida... Será mesmo?
E se ao padecer tudo que venha ocorrer seja apenas a escuridão perpétua
E morte de minha consciência? Não sei ao certo o que pode acontecer. 
Esse é apenas mais um dos diversos "se" sem respostas da vida. 
Um "estou bem" acompanhado de um sorriso falso. 
Dupla bastante utilizada para evitar perguntas.
Não sou do tipo de pessoa que faz isso.
Podemos mentir para todo mundo, porém ficar nos iludindo não vale a pena.
Eu tenho saudades do que não aconteceu.
Que o ideal de hoje seja a realidade de amanhã.
A vida sem sonhos não faz sentido.
Sonhar com os pés no chão? Devemos sonhar.
Devemos voar apesar de todas as consequências. 
Aprender que viver sem expectativas é não precisar sofrer, 
Entretanto viver é correr riscos.
Temos que não apenas saber voar, 
Porém devemos voar de forma ousada como Fernão Capelo Gaivota¹.
A vida me ensina a ter calma e seriedade para conseguir concretizar os meus desejos.
Amor próprio vale mais do que qualquer coisa.
Se eu estiver certo de algo não abro mão.
Se eu não puder me amar, eu tenho a certeza que não posso amar ninguém.
Amar-se antes de tudo é o segredo para poder amar intensamente outras pessoas.
Parece felicidade, mas é só a expectativa de lhe ver amanhã.
É inevitável se apaixonar por quem nos demonstra 
Que a felicidade está nas coisas simples da vida. 
É impossível não deixar-se cativar por quem faz nosso coração vibrar!

Clayton Levi

 
 ¹Referência a personagem do livro homônimo de Richard Bach.


Nenhum comentário:

Postar um comentário