terça-feira, 13 de novembro de 2012

Epifania!

"A Moral não me ajuda. Sou antagônico nato. Sou uma daquelas pessoas que são feitas para exceções, não para regras.". - Oscar Wilde 

"Existem grandes mentiras em volta daquilo que acreditamos serem grandes verdades.". - Desconhecido



La Fontaine... Monteiro Lobato... entre outros se desiludiram com o ser humano.
Este que é um receptáculo repleto de vícios e virtudes...
É cômico como ele utiliza-se de personas, máscaras, para viver.
Pseudo virtudes que camuflam seus vergonhosos vícios.
Epifania! Sim, tive uma epifania!
Agora compreendo diversos fatos que em outrora não compreendia.

O filósofo deixou de contemplar apenas a verdade sombras¹. Saiu da caverna, vislumbrou o mundo real, em seguida sentiu-se no papel de retornar e contar sobre o mundo fora da gruta... Qual foi a dádiva que ele recebeu pelo seu ato de bondade? Os outros habitantes do antro o viram como um louco e ceifaram a vida dele. Padecer por quem sequer permite-se duvidar do que acredita? Não mesmo!  Ser consolidado como insano e fenecer por querer libertar os amigos dos grilhões é o destino do filósofo. É querer demais desejar que as pessoas sejam sinceras umas com as outras, se elas não podem sequer serem sinceras consigo mesmas. Simplesmente cansam de se questionar e tomam qualquer coisa como verdade. É triste pensar que há pessoas que viverão enclausuradas em cárceres invisíveis pelo resto de suas vidas. Seria mais triste para o filósofo pensar nisto ou cogitar que ele é um dos poucos que possui essa linha de pensamento e são raros as pessoas que pensam como ele? "A ignorância é uma benção.", a cada dia que se passa acredito mais nessa frase. É ótimo não enxergar a vida com os olhos da razão, algumas vezes. Epifania! sim, tive uma epinafia!  Agora compreendo diversos fatos que em outrora não compreendia. É mais saudável adoecer com uma dúvida que se instala em nosso âmago do que viver no leito confortável de uma falsa verdade.


 Clayton Levi


¹Referência à Alegoria da Caverna encontrada no livro: "A República" de Platão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário